90 anos da família Grundig no Brasil – Dia 1 – Sábado, 27 de junho de 2015

Dentre as celebrações familiares ocorridas no ano de 2015 (relacionadas nesse post), a mais significante foi, sem dúvida nenhuma, a vinda dos nossos recém-descobertos parentes da Alemanha, nosso elo familiar reencontrado na nossa viagem memorável em 2013. (Das outras celebrações falarei em outros posts.)

Foram Christian Schwieder e Antje Fischer, o casal, que vieram representando a família. Primeira vez que entraram num avião, primeira vez que atravessaram o imenso Oceano Atlântico. Para quem nunca saiu da Europa e nunca pisou num avião, a aventura já começou nesse dia! Chegaram no Brasil no dia 27 de junho e retornaram para a Alemanha no dia 5 de julho.

No dia 5, saímos de madrugada em direção ao aeroporto. O avião da Lufthansa iria pousar às 5 e meia da manhã e tínhamos que chegar a tempo. No caminho, tivemos que desviar das máquinas na pista central da Avenida Brasil, pois os trabalhos para as Olimpíadas em 2016 estavam a pleno vapor. Chegamos no aeroporto e ainda estava escuro. Finalmente o pouso da aeronave foi anunciado. A ansiedade estava grande. E finalmente eles apareceram no portão de chegada dos passageiros! Nossa alegria foi enorme!

Depois de nos cumprimentarmos, nos dirigimos ao estacionamento para pegar o carro e voltar a Niterói. A essa altura, já estava clareando.

Chegamos em casa, e o casal foi acomodado no quarto de hóspedes já arrumado. Em seguida, tomamos café e informamos sobre a programação prevista para os dias de visita.

 

Helena ainda não tinha chegado de Fortaleza. Só chegaria à noite.

Depois do café foi o momento de descansar e saímos somente na hora do almoço. Levamos para um restaurante em Jurujuba, bairro de intensa atividade pesqueira, onde nos deliciamos com um bom prato de peixe à moda da casa.

Em seguida, visitamos a Fortaleza de Santa Cruz da Barra. Como sempre acontece nessa época do ano, também nesse dia o céu estava azul e com uma temperatura muito agradável. Percorremos a Fortaleza num grupo orientado por um guia local. Para nós, o vento estava mais para frio (nosso inverno, afinal!). Mas o casal ficou bem à vontade, pois o tempo estava mais para o verão europeu…

 

O dia terminou na Praia de Itaipu, onde assistimos a um belo pôr do sol. E eles estavam loucos para pisar na areia e molhar os pés na água do mar.

De volta à nossa casa, à noite, eles se sentaram à mesa na varanda e fizeram as primeiras anotações sobre os acontecimentos do dia. Diante do mapa do Brasil e o do Estado do Rio, avaliaram os caminhos percorridos e os preparamos para a programação que viria no dia seguinte.

E assim terminou o primeiro dia…