Viajando de ônibus pela Alemanha

Estamos iniciando neste sábado um dos fins de semana prolongados mais concorridos do calendário, os dias de Carnaval, em que muitas pessoas aproveitam para viajar, refrescar-se da rotina de trabalho, sair para conhecer outros lugares ou embarcar para as tradicionais cidades de veraneio.

Na maioria das vezes são viagens feitas de ônibus, quando as rodoviárias ficam lotadas de gente com crianças e bagagens num calor infernal. Para nós, brasileiros, viajar de ônibus é mais do que normal, assim como é normal viajar de trem pela Europa e pela Alemanha.

No entanto, o transporte de pessoas em ônibus intermunicipais e interestaduais na Alemanha foi liberado há pouco mais de dois anos. Ainda é uma grande novidade e tudo o que é novidade é visto inicialmente com muita desconfiança.

Mas voltando a falar no feriado de Carnaval, encontrei num site de viagens várias empresas que oferecem esse serviço. Levando em conta que é um site de turismo, vejamos o que diz a matéria a seguir, redigida por Carina, sobre o transporte de ônibus comparado com o ferroviário:

“É sabido que viajar de trem pela Europa costuma ser nenhuma barganha, e na Alemanha não é diferente. Uma boa opção pode ser viajar de ônibus dentro da Alemanha! Apesar de o país contar com uma excelente malha ferroviária, ligando a maioria das cidades, o preço costuma ser um fator decisivo na hora de comprar as passagens, e quem não planeja com bastante antecedência pode pagar caro pela viagem.

150213-busUma novidade que vem surgindo nos últimos anos na Alemanha, mesmo sendo muito utilizado em países como o Brasil, são empresas de ônibus que ligam as grandes cidades por uma fração do que é cobrado pela passagem de trem. Ganhando cada vez mais adeptos, as empresas estão sempre implantando novas linhas e horários de ônibus dentro da Alemanha. Claro que muitas linhas levam um tempo muito maior de viagem do que o trem ou carro, já que o ônibus costuma fazer diversas paradas em cidades pelo caminho, o que pode tornar a viagem cansativa, mas é uma ótima opção para quem tem disposição e quer economizar.

O maior problema são os sites das empresas de ônibus, que apesar de venderem as passagens online e serem muito bem explicativos, só oferecem o serviço em alemão, o que dificulta para quem não tem o domínio da língua.

Uma ótima ferramenta de ajuda é o site BusLinienSuche que ajuda a encontrar passagens e ofertas de diferentes empresas de ônibus, mas o site está somente em alemão.

Abaixo seguem algumas opções para quem está disposto a deixar o trem de lado e seguir viajando de ônibus dentro da Alemanha. […]” (Fonte: www.viajoteca.com)

Não é necessário entrar em mais detalhes, porque as viagens de ônibus conhecemos bem.

Nota-se que na Alemanha muitas pessoas optam pelo ônibus por motivos econômicos. Se não têm pressa para chegar ao seu destino, sem dúvida, é a melhor opção. Veja na figura abaixo algumas das rotas disponíveis.

150213-linhas

 

Por outro lado, há aqueles – e não são poucos – que ainda preferem viajar de trem, mesmo porque a rede ferroviária é bem mais antiga do que o transporte rodoviário. Na matéria a seguir, de Ricardo Freire, em outro site de turismo, encontramos muitas justificativas em defesa do transporte ferroviário comparado com o transporte aéreo:

150213-trem

“Vai por mim: trem na Europa

“Para mim o trem é a expressão máxima da civilização europeia: eficiente, charmoso, democrático, tradicional mas em permanente modernização. No trem você viaja anônimo (só há check-in nos trens AVE espanhóis e no Eurostar, e a conferência de passaportes só acontece quando se ultrapassa a fronteira do espaço Schengen) e ninguém implica com o que você leva na bagagem de mão. Tampouco você é submetido às mesmíssimas explicações básicas toda vez que sobe num vagão. Quem nunca andou de trem talvez sinta falta daquele beabá que acompanha todo o penoso processo de check-in e embarque dos aviões. Mas basta chegar com alguma antecedência nas primeiras vezes, e logo você vai usar o trem com a mesma naturalidade dos nativos.

Para que serve
O trem é o meio mais rápido e civilizado de chegar a qualquer lugar situado a até 4 horas de distância. Para comparar: um voo de uma hora de duração costuma resultar (pelo menos) nas mesmas quatro horas de viagem, contando os perrengues envolvidos no deslocamento, check-in e recolhimento de malas. (Para comparar tempo de voo x tempo de trilhos, acrescente sempre três horas à duração do vôo.) O trem deixa você no centro da cidade, muitas vezes a poucos passos do seu hotel. É imbatível para explorar regiões delimitadas, com paradas em cidades de médio e grande porte, onde o carro seria um estorvo. […]

150213-zug

Trem regional

Estude sua viagem
Quanto tempo leva o trem entre Budapeste e Viena? Quais são as paradas intermediárias de Milão a Florença? Será que dá para ir e voltar confortavelmente de Paris ao Mont-St.-Michel no mesmo dia? O lugar para você começar a destrinchar a sua viagem de trem pela Europa é no site da Deutsche Bahn, a ferrovia alemã. Desde os primórdios da internet, a Bahn oferece o melhor (e mais amigável) banco de dados sobre as ferrovias de toda a Europa. Dica: simule viagens sempre nos próximos 30 dias.

Onde vão as malas?
Com exceção do Eurostar que cruza o canal da Mancha, no trem europeu você não despacha as malas, nem tem nenhuma restrição de peso a transportar. A limitação está justamente no tamanho de bagagem que você consegue carregar sozinho para dentro do trem e armazenar nos compartimentos disponíveis. Malas maiores devem ser postas nas prateleiras que se encontram na entrada dos vagões; se já estiverem ocupadas, você vai ter que fazer força para pôr no compartimento acima do seu assento. A experiência leva os passageiros de trem a viajar leve. Procure viajar com uma mala de quatro rodinhas tamanho M (65 centímetros de altura, em pé). 

Dá para ir na segunda classe?
É o equivalente à classe econômica dos aviões — só que, em todo de até 10 anos de idade, é bem mais confortável do que a classe econômica dos aviões. É onde os europeus viajam. […]

150213-ice

Trem para longa distância

Tem que reservar assento?
[…] Na Alemanha (com exceção do ICE-Sprinter), na Holanda (com exceção do Thalys) e no Leste Europeu os trens levam passageiros com e sem reserva. Os assentos reservados têm uma sinalização específica, que na maioria das vezes informa o trecho para o qual o assento foi reservado. Mesmo sem reserva, você pode ocupar esses assentos nos trechos em que não estejam reservados.

Passes valem a pena?
Os passes de trem já não compensam como antigamente. Hoje em dia não são mais emitidos por dias corridos, e sim por dias estanques de viagem. Na ponta do lápis, só valem muito a pena quando envolvem longos deslocamentos – justamente aqueles trechos que são melhor feitos de avião. Comprando com antecedência trechos ponto a ponto diretamente nos sites das companhias ferroviárias europeias você consegue tarifas descontadas. No entanto, para compras de última hora – quando os descontos já se esgotaram – os passes podem se justificar economicamente também. A maior vantagem é poder mudar o itinerário (dentro da área de abrangência do passe). A parte chata é precisar fazer reservas de assentos em trens rápidos ou internacionais – e pagar entre €4 e €22 de taxa suplementar por viagem. Nos trens noturnos os suplementos vão de €25 (beliche num compartimento de seis) a €105 (cabine individual). […]” (Fonte: www.viajenaviagem.com)

Veja o mapa da malha ferroviária na Alemanha:

150213-karte

Bem. Fica, então, a nosso critério a escolha (difícil) do meio de transporte mais adequado para as viagens pela Alemanha, não esquecendo ainda a opção de alugar um carro, como fizemos na nossa epopeia em maio/junho de 2013…

Ah! Além dos sites indicados acima, ainda há este www.bailandesa.nl com ótimas dicas para quem quer viajar de trem pela Europa.

 

 

 

Anúncios